empreendedor

now browsing by category

 

Como os descontos impactam as vendas

Você já pensou no impacto dos descontos nas suas vendas? Muitos gestores e vendedores consideram o desconto como um facilitador para a compra, mas não percebem que eles podem fazer o vendedor ter que trabalhar dobrado para ter os mesmos resultados. Se pensarmos na rentabilidade de cada venda, isso fica mais claro.

Entendendo a Rentabilidade

A rentabilidade e a margem de lucro do produto andam juntas. Por isso o desconto impacta de forma diferente cada produto, de acordo com sua margem de lucro. Veja no exemplo:

Imagine que nosso produto seja um caderno e o seu preço de venda é de R$10. Como o custo de produção e entrega é de R$8, a margem de lucro é de 20%. Ou seja, a cada venda realizada, o lucro será de R$2.

O “famoso” 10% de desconto se tornou padrão em diversos mercados. No nosso exemplo, se o vendedor aplicar este desconto, venderá o seu caderno por R$9 e o lucro será de R$1.

Ou seja, para lucrar o mesmo valor obtido na venda sem desconto, no caso R$2, ao invés de 1 caderno, terão que ser vendidos 2 cadernos, portanto, o dobro da quantidade de produtos.

Esses números parecem pequenos, mas temos que ter em mente que as vendas acontecem em quantidades ou valores muito maiores. Se ao invés de um caderno, a venda for de mil unidades, o lucro será de R$2 mil sem descontos, e R$1 mil com desconto de 10%.

Aos gestores, é importante lembrar que no custo do produto também deve-se diminuir a comissão do vendedor, os custos com locomoção, entre outros, do valor do lucro. O que acarreta em esforço ainda maior para atingir bons números para a empresa.

 

Então não posso dar descontos?

Todo esse raciocínio sobre rentabilidade não quer dizer que os descontos são proibidos, porém, é importante aplicá-los com consciência.

O desconto não pode ser uma forma de “vender mais fácil” ou uma condição de toda e qualquer venda. Deve ser parte de uma negociação e uma ferramenta para ser usada de forma inteligente.

Uma boa negociação não significa conceder descontos. Significa uma troca, chegar a um acordo em que os dois lados saem ganhando. Por isso, é importante reforçar os benefícios do produto, conceder prazos de entrega ou de pagamento, ter bons argumentos e considerar pedir algo em troca, como, por exemplo, a compra de outro produto ou o pagamento à vista.

Como gerenciar vendedores para aumentar a rentabilidade dos pedidos

A solução não é impedir que os vendedores deem desconto. Tirar essa autonomia só irá desmotivá-los. Porém, é importante ter uma política clara de descontos e estipular alguns limites. Além disso, bons vendedores têm informações estratégicas sobre seus clientes, e podem usá-las nas negociações.

Mas a sua equipe de vendas deve entender o impacto dos descontos no negócio como um todo. Isso é ainda mais fácil e evidente se a remuneração ou bonificação do vendedor estiver atrelada à rentabilidade das suas vendas e não ao faturamento total. Dessa forma, além estimular a compreensão desse conceito, você ainda garantirá que os vendedores que, efetivamente, trazem mais resultados para a empresa sejam melhor remunerados.

É comum não apresentar todas as informações de negócios aos vendedores, como a margem de lucro de cada produto, e quando o mix de produtos é muito grande, controlar a rentabilidade de cada um dos pedidos pode gerar dúvidas e erros. Por isso, um sistema de gestão de vendas pode ajudar neste controle.

 

Saiba como calcular o preço de venda de um produto

preo_-1024x779

Como calcular o preço de venda de um produto ou serviço
Um dos segredos para o sucesso do negócio é saber como calcular o preço de venda de um produtos ou serviço adequadamente.
Precifique seus produtos corretamente e isto poderá melhorar o quanto você vende, criando assim as bases de um negócio que irá prosperar.Ter uma estratégia de preços errada poderá criar problemas que sua empresa talvez nunca consiga superar.

Há uma variedade de diferentes tipos de estratégias de precificação nos negócios. No entanto, não há nenhuma infalível, ou uma fórmula que contemple todos os tipos de produtos, empresas ou mercados. Calcular o preço do seu produto envolve geralmente a consideração de alguns fatores-chave, como identificar o seu cliente alvo, monitorar quanto os concorrentes estão cobrando, e compreender a relação entre qualidade e preço. A boa notícia é que você tem uma grande flexibilidade na forma como você define os preços de venda dos seus produtos ou serviços. Mas essa também é uma má notícia.

A seguir, iremos detalhar a forma de atingir seus objetivos de negócio em relação a precificação dos seus produtos, quais os fatores a considerar quando você for determinar os preços de venda, e como saber se está na hora de levantar ou abaixar seus preços e como fazer isto.

Como calcular o preço de venda de um produto ou serviço: Conhecendo os objetivos do seu negócio

Seja franco em relação a quanto dinheiro você quer ganhar

O primeiro passo para saber como calcular o preço de venda de um produto é ter a real noção sobre o que você quer alcançar com a sua estratégia de precificação: Ganhar dinheiro. É por isso que você possui um negócio. Ganhar dinheiro significa gerar receita suficiente com a venda de seus produtos, para que você não só consiga cobrir seus custos, mas ter um lucro e talvez expandir o seu negócio.

O maior erro que muitas empresas cometem é acreditar que o preço sozinho impulsiona as vendas. Sua capacidade de vender é o que impulsiona as vendas e isso significa contratar as pessoas certas para vendas e adotar a estratégia de vendas correta.

Ao mesmo tempo, esteja ciente dos riscos que acompanham uma tomada de decisões de preços ruim. Existem duas armadilhas que você pode encontrar – preços muito baixos e preço muito altos.

  • Preços muito baixos. Muitas empresas se enganam definindo os preços de seus produtos ou serviços muito baixos, na tentativa de convencer o consumidor de que seu produto é a alternativa mais barata, na esperança de elevar o volume, mas frequentemente o seu produto acaba apenas sendo percebido como  “algo barato”. Lembre-se que os consumidores querem sentir que estão fazendo seu dinheiro valer a pena. As empresas também precisam ter a certeza de que estão cobrindo totalmente os seus custos quando calculam o preço de seus produtos ou serviços. Reduzir os seus preços ao ponto onde você está quase dando os produtos de graça certamente não é uma boa estratégia de longo prazo.
  • Preços muito altos. Por outro lado, superfaturamento de um produto pode ser tão prejudicial quanto preços muito baixos, uma vez que o comprador sempre vai estar de olho no seu preço e no de seus concorrentes. Precificar seus produtos acima do que o seu cliente pode pagar também pode diminuir as vendas. Coloque-se no lugar do cliente. O que seria um preço justo para você? Se necessário, questione seus clientes com duas ou três perguntas em um formulário e pergunte a eles qual seria o preço justo, na concepção deles.

Entenda as outras prioridades do seu negócio

Há outras razões para entrar no mundo dos negócios. Entenda o que você quer fora de seu negócio quando estiver calculando o preços de seus produtos. Além de maximizar os lucros, pode ser importante para você maximizar a fatia de mercado que você tem, o que poderá lhe ajudar a reduzir seus custos ou até mesmo poderá resultar no que os economistas chamam de “efeitos de rede”, ou seja, o valor de seus produtos aumentam à medida que mais pessoas usam isso. Um exemplo de uma rede de efeito do produto é o sistema operacional Microsoft Windows. Quando mais pessoas começaram a usar o Windows, mais desenvolvedores de software fizeram aplicações que fossem executadas nessa plataforma.

Talvez você queira que seu produto fique conhecido pela sua qualidade, ao invés de apenas ser o mais barato no mercado. Se assim for, você pode querer precificar seu produto com um valor mais alto para justificar a qualidade do mesmo. Durante uma recessão, você pode ter outras prioridades de negócio, tais como mera sobrevivência, então você pode querer que o preço de seus produtos apenas seja o suficiente para manter sua empresa no funcionando.

Como calcular o preço de venda de um produto ou serviço: fatores a considerar

Existem muitas metodologias para saber como calcular o preço de venda de um produto ou serviço, porém, as empresas bem sucedidas usam uma combinação de ferramentas e saber que o o fator-chave a considerar é sempre: o cliente em primeiro lugar. Quanto mais você sabe sobre o seu cliente, melhor você vai poder fornecer o que ele valoriza e mais você será capaz de cobrar.

>> Conheça a nossa Planilha de Formação de Preço de Venda.

Conheça seu cliente

cliente_comprando_produto-300x198

A realização de algum tipo de pesquisa de mercado é essencial para conhecer o seu cliente. Este tipo de investigação pode variar de pesquisas informais de sua base de clientes existente até caros projetos de investigação realizados por empresas de consultoria. Empresas de pesquisa de mercado podem explorar o seu mercado e segmento de clientes potenciais de diversas formas: por dados demográficos, pelo que eles compram, se eles são sensíveis aos preços etc. Se você não tiver alguns milhares de reais para gastar em pesquisa de mercado, você pode apenas olhar para os consumidores e dividi-los em alguns grupos distintos, como por exemplo: orçamento disponível, compram pela conveniência, o status faz a diferença etc. Em seguida, descubra qual o segmento que você está almejando atingir e precifique em conformidade.

Conheça os seus custos

Um princípio fundamental da precificação é que você precisa cobrir seus custos e, em seguida, levar em consideração um lucro. Isso significa que você tem que saber os custos do seu produto/serviço. Você também tem que entender o quanto você precisa adicionar de margem ao seu produto e quantos você precisa vender para virar ter lucro. Lembre que o custo de um produto é mais do que o custo de compra do mesmo, para calcular o preço de venda de um produto você deve incluir os custos indiretos, que são despesas gerais como aluguel e custos variáveis ​​como as taxas de envio de armazenamento. Você deve incluir esses custos na sua estimativa do custo real do seu produto.

Digamos que X é o seu custo de matéria-prima, mão de obra, aluguel, e tudo o que você precisou para fazer o produto ou para comprar ele e manter seu negócio funcionando. Y é quanto você acha que pode ganhar de dinheiro com ele. Seu cálculo de preço final seria X + Y = Valor de Venda.

Muitas empresas não levam em consideração todos os custos do seu negócio e colocam um preço de venda muito baixo ou calculam todos os custos e esperam fazer algum lucro com produtos superfaturados. Uma boa ideia é fazer uma planilha de todos os custos que você precisa cobrir a cada mês, o que pode incluir o seguinte:

  • Seus custos reais do produto, incluindo o trabalho e os custos de marketing e venda desses produtos.
  • Todas as despesas operacionais necessárias para possuir e operar o negócio.
  • Os custos associados a empréstimos de dinheiro.
  • Seu salário como o proprietário e/ou o gestor do negócio.
  • Um retorno sobre o capital que você e todos os outros proprietários ou acionistas têm investido.
  • Capital para uma futura expansão e substituição de ativos fixos à medida que vão envelhecendo.

Liste todos os custos em uma planilha. O total deve lhe dar uma boa ideia da receita bruta que você vai precisar gerar para garantir que você cobrirá todos os custos.

Conheça o seu alvo: Receita Bruta Mensal

Você deverá ter metas bem definidas de quanto lucro você quer gerar com seu negócio. Para saber esta meta, pegue a sua meta de receita/faturamento, diminua seus custos de produção, comercialização e venda de seu produto e você terá o preço por produto que você quer cobrar. Se você tiver apenas um produto, este é um processo simples, estime o número de unidades do produto que você espera vender durante o próximo ano. Em seguida, divida sua meta de receita pelo número de unidades que você espera vender e você tem o preço a que você precisa para vender seu produto, a fim de atingir suas metas de receita e lucro.

Se você tem um número de diferentes produtos, você precisa alocar o seu objetivo global de receitas por cada produto. Em seguida, faça o mesmo cálculo para chegar ao preço a que você precisa vender cada produto, a fim de alcançar seus objetivos financeiros.

Conheça a sua concorrência

concorrência-300x112

Também é útil olhar para a concorrência, afinal, o seu cliente provavelmente também está. Se os produtos do seu concorrente são comparáveis ao seu, você pode usar os preços deles como um indicador inicial. Veja se seu produto tem algum valor agregado adicional, digamos que você ofereça algum serviço extra juntamente com seu produto, neste caso você poderá cobrar mais caro por ele do que o seu concorrente.

Saiba para onde o mercado está indo

É claro que você não pode ser um adivinho, mas você pode manter o controle de fatores externos que irão impactar a demanda por seu produto ou serviço no futuro. Esses fatores podem variar de algo tão simples como padrões climáticos de longo prazo (inverno e verão, por exemplo) para leis que podem afetar futuras vendas de seus produtos (como leis anti-trust de produtos chineses). Leve também em consideração os seus concorrentes e suas ações, por exemplo, digamos que um concorrente responda rapidamente a um novo produto que você introduziu no mercado, talvez ele envolva o seu negócio em uma guerra de preços. Por isso é sempre bom estar de olho na sua concorrência.

Preço de venda: Aumentar ou diminuir?

monitorar_preços

É impossível utilizar uma regra para todo mundo. Você não pode calcular o preço de verdade todos os seus produtos com base em um markup fixo praticado no mercado em que você está inserido. Seu preço de venda deve variar dependendo de uma série de fatores, incluindo:

  • O que o mercado está disposto a pagar;
  • Como sua empresa e produto são percebidos no mercado;
  • O que seus concorrentes cobram;
  • Se o produto é “altamente visível” e freqüentemente comprado e comparado;
  • O volume estimado de produto que você pode vender.

Isso abre a porta para elevar e/ou baixar os preços dos seus produtos. A fim de tomar esta decisão, você deve primeiro entender o que já está funcionando. Analise a rentabilidade dos seus produtos e veja o que funciona melhor e pare de fazer o que não funciona. Descubra quais os seus produtos estão lhe dando mais lucro e em quais você está perdendo dinheiro, você poderá se surpreender como alguns dos seus produtos estão fazendo você perder dinheiro (caso isso aconteça, corrija rapidamente!).

Você deve também constantemente re-avaliar os seus custos. Para vender um produto corretamente, você deverá comprá-lo corretamente. Se você não está conseguindo vender os seus produtos por um valor suficientemente bom para lhe dar lucro, talvez o seu problema esteja nas compras, talvez seu custo seja muito alto e não o seu preço muito baixo.

Quando aumentar os preços de venda (e como)

Você deve sempre estar testando novos preços, novas ofertas, e novas combinações de benefícios e prêmios para ajudá-lo a vender mais de seu produto a um preço melhor. Teste novas ofertas a cada mês. Aumente o preço e ofereça um novo e único bônus ou serviço especial para o cliente. Mas, como você vai saber se deu certo? Simples, esteja sempre medindo o aumento ou a diminuição do volume do produto que você vende e o total de lucro bruto que você gerar em cada mês com cada campanha.

É natural e faz parte do negócio você ter que aumentar o preço de venda dos seus produtos ao longo do tempo. Se você nunca aumentar seus preços, você não permanecer no negócio por muito tempo. Você tem que monitorar constantemente o seu preço e seu custo para garantir sua competitividade no mercado e lucrar aquilo que você realmente merece.

A melhor maneira que você tem para determinar se o preço de venda de um produto foi fixado corretamente é verificar o volume de vendas imediatamente após alterar o mesmo. Se o aumento for muito alto, os clientes irão reagir rapidamente parando de comprar e até mesmo reclamando do aumento. Você poderá também sempre ficar de olho na sua concorrência, se a sua mudança for positiva, seus concorrentes provavelmente irão lhe seguir.

Todavia, existe um jeito correto e um jeito errado de aumentar os preços. Você não quer se indispor com a sua base atual de clientes aumentando de mais os preços, especialmente durante uma crise. Ao invés de aumentar subitamente o valor do produto, planeje um aumento estratégico ao longo de um tempo razoável. Dependendo do que você vende, aumente os preços ao longo do ano, ou até mesmo faça um plano de médio prazo, aumente os preços num período de dois a cinco anos. O que você deve evitar é um aumento abrupto no preço de venda dos seus produtos, se você estiver no vermelho, ainda assim não suba os preços todos de uma vez só e no máximo do valor que você quer chegar, isso pode assustar os seus clientes e afastá-los, o que irá lhe deixar em uma situação ainda pior.

Quando diminuir o preço de venda (e como)

Você pode perceber que perdeu o seu público-alvo devido aos preços muito altos. Existe a possibilidade de que você ofereça descontos ou algo de graça para seus clientes, com intuito de levá-los a experimentar o produto que realmente irá lhe gerar lucro, algo que é chamado de “produto âncora”. Você oferece algo barato ou de graça com intuito de que o cliente entre na sua loja e compre algo além daquilo que lhe foi ofertado por um preço baixo. As pessoas gostam de obter algo de graça ou com desconto. Por exemplo, defina a terça-feira como o dia do idoso e dê 20% de desconto para seus clientes idosos na terça-feira. Em outro dia o desconto pode ser dado para estudantes. Dessa forma você mantém o preço de venda dos seus produtos, mas para algumas pessoas você está dando um desconto, somente em alguns produtos.

Geralmente, reduzir os preços não é uma boa prática a menos que você esteja fazendo isso estrategicamente para abocanhar uma fatia de mercado ou se todos os seus concorrentes estão reduzindo seus preços, por exemplo. Uma alternativa para redução de preços é oferecer menos pelo mesmo valor. Restaurantes conseguem tirar grande proveito desta estratégia, mas isto também pode ser aplicado a lojas, industrias e prestadores de serviço.

 

Monitore o seu preço de venda

Algo que é chave para manter o seu preço de venda correto é estar sempre monitorando os mesmos e a rentabilidade que isto está lhe trazendo. Não é suficiente olhar para a rentabilidade global da sua empresa mês a mês, você precisa ficar de olho na rentabilidade (ou na falta dela) de cada produto que você vende.

Aqui estão algumas outras práticas para ajudá-lo a definir o preço de venda correto:

  • Ouça seus clientes. Tente fazer isso regularmente, obtendo o feedback dos clientes sobre o seu preço. Deixe-os saber que você se importa com o que eles pensam!
  • Fique de olho em seus concorrentes. Se você não tem bolsos tão fundos e não pode se dar ao luxo de contratar uma equipe de pesquisa de mercado, contrate alguns estudantes universitários sairem na rua regularmente e monitorar o que seus concorrentes estão fazendo;
  • Tenha um plano de ação para precificação. Tente ter um plano para definição do seu preço de venda, é bom que este plano tenha pelo menos 6 meses de duração.

Coloque tudo que você leu a prova, você merece isso e o seu negócio também!
Faça uma boa gestão do preço de venda dos seus produtos e lembre-se que definir os preços dos produtos pode ser a diferença entre o sucesso ou o fracasso do seu negócio!

fonte: quanto sobra

josuedalmeida_assinatura consultor de negocio silk machine k3 injetados

9 conceitos dos negócios que fazem dinheiro

como_ganhar_dinheiro_usando a tabela de produtividadeFaça o seu negócio dar certo

“O que é preciso fazer para que  empresas deem certo”.

“Existem 4 “fundamentos” da arte de vender: promessa, imagem, prova e recompensa”, ele escreveu. “Esses são essenciais para criar as ’embalagens’ vendáveis.”

Para isso, coloque em prática os quatro “P’s” para construir um negócio:

1. Programa: Você precisa de um modelo de negócios que funcione e que produza uma rentabilidade confiável a longo prazo – com um nível aceitável de investimento e risco.

2. Produto: Você quer vender produtos que sejam fáceis de vender pela primeira vez e que sejam ainda mais fáceis de vender depois. Em outras palavras, você quer vender produtos que dão às pessoas o que elas procuram – a preços razoáveis. Os copos long drink são os produtos carro chefe da maioria das empresas de brindes e eventos, produto de utilidade e vendáveis.

3. Perspectivas: Você precisa de pessoas para quem vender. E você precisa de um número suficiente delas para atingir os objetivos de longo prazo do seu negócio. Encontrar potenciais compradores é uma grande parte de qualquer negócio.

4. Proposta: Cada mercado é único. E todo produto é único. Descobrir a melhor forma de vender seu produto para um determinado segmento de mercado é a sua primeira prioridade, a mais importante. Enquanto você não conseguir fazer isso, você não terá lucros.

Eu pensei nessa lista por um longo tempo e percebi que ela não estava totalmente completa para mim.

Há mais 5 “P’s” que precisamos considerar:

5. Pessoas: Toda empresa, não importa o que ela faz, onde está localizada ou quão automatizados são os seus processos, depende de pessoas para criar e manter seus lucros.

Levar o negócio a um próximo nível é mais fácil quando você contrata, promove, treina e cultiva uma equipe de pessoas-chave que podem trabalhar com habilidade e eficiência.
Você precisa encontrá-los, motivá-los e segurá-los.

6. Promoções: Descobrir a proposta do seu negócio é a primeira, e somente primeira, prioridade de venda.

Para manter seu negócio rentável, você precisa produzir um fluxo contínuo de promoções que façam sucesso e capturem os clientes (ofertas de venda atraem atenções, oferecem benefícios e convencem os clientes a comprar seus produtos).

Um negócio que não pode produzir promoções inovadoras em uma base contínua é um negócio fadado à mediocridade … ou mesmo ao fracasso.

7-9. Procedimentos, protocolos e processos: Se você conseguir colocar os seis primeiros P’s” para funcionar de maneira correta, sua empresa nunca vai sofrer de uma falta de vendas.

Mas se você não tem operações eficazes – organização ao receber as ordens de compra, cumprimento dos processos, contabilidade e atendimento ao cliente -, seus lucros serão sempre a metade do que deveriam ser. E o estresse será o dobro do que ele precisa ser.

e a Silk Machine tem o proposito de te ajudar com o seu negócio, para que ele dê lucro.

Subscrito por Josué Dalmeida 
Silk Machine 
josuedalmeida_assinatura consultor de negocio silk machine k3 injetados

 

 

 

 

 

Como Calcular Lucratividade e Rentabilidade do seu Negócio?

Se você está a procura de um negócio para complementar a sua renda familiar ou para se tornar o seu próprio chefe preparamos esta ótima oportunidade, invista em uma máquina de estampar copos.
desenvolvemos esse modelos de máquina Silk Machine, que pode ser instalados praticamente em qualquer comodo da sua casa, sim você pode ajudar a aumentar a sua renda familiar sem precisar sair de casa, conheça mais um pouco dessa ideia aqui, e veja quanto você pode ter uma alta lucratividade, com baixo investimento

esse é um cálculo para você ter uma idéia desse negócio.

LUCRATIVIDADE: indica o percentual de ganho obtido sobre as vendas realizadas. A lucratividade esperada para micro e pequenas empresas é de 50% a 100% sobre as vendas.

RENTABILIDADE: indica o percentual de remuneração do capital investido na empresa. A rentabilidade esperada para micro e pequenas empresas é de 2% a 4% ao mês sobre investimento.

INVESTIMENTO: é todo o capital aplicado na empresa, seja o capital social inicial mais os aumentos (aportes) de capital adicional, mais os lucros reinvestidos na empresa.

  • A  TAXA de rentabilidade do investimento é calculada da seguinte forma:
    Lucro Líquido, dividido pelo Investimento.
    Exemplo: Lucro Líquido mensal: R$ 4.500,00
    Investimento total: R$ 9.000,00 ( vlr da maquina Silk Machine)
    Taxa de rentabilidade: 50 % ao mês.
O prazo de retorno do investimento realizado é calculado da seguinte forma:
Investimento, dividido pelo Lucro Líquido.
Exemplo: Investimento total: R$ 9.000,00
Lucro Líquido mensal: R$ 4.500,00;
Prazo de retorno: 2 meses. (em 2 meses de serviço você já tem o sua maquina silk machine paga)
O índice de lucratividade é calculado da seguinte forma:
Valor do lucro líquido, dividido pelo Valor das vendas.
EXEMPLO: 1 copo long drink custa: R$ 0,81
                                     Valor de venda: R$ 1,90
                                      Lucro Liquido: R$ 1,09
                                                  Lucro de 135%

Veja mais em tabelas de Lucratividade…

Empreendedores apostam no sucesso dos brindes personalizados para sair da crise

Com a crise no Brasil, surgem novos grupos de EMPREENDEDORES, apostando no sucesso de um nicho de mercado que cresce em 38% ao ano, que é o de  BRINDES PERSONALIZADOS. Leia Mais >

^